Chantagem x Negociação

Postado em em 2 de junho de 2019

Idealizamos a vida com nossos filhos antes mesmo dele chegar. Imaginamos nossos comportamentos com eles, o respeito e paciência que daremos, toda a atenção dispensada, planejamos também mentalmente sua vida para que sejam bem sucedidos e felizes. Mas ai, nem tudo acontece como planejamos. Chega o dia em que seu filho começa a berrar, chorar por qualquer coisa, bater de frente com os pais e não querer respeitar suas regras. E tudo vai por água abaixo. Aqueles comportamentos que abominamos e que dizíamos nunca fazer, se mostra como única alternativa para tamanho desespero. Devemos colocar de castigo? Fazer chantagem? Ou dar umas palmadas?
Para todo comportamento de seu filho é preciso que desde sempre se trabalhe com ele o LIMITE. Os pais precisam cuidar para que sejam respeitados e a criança precisa entender que respeito vai para além dos pais, é um respeito com o outro.
Para trabalhar o limite, é importante que se explique a regra ou então o limite pode ser negociado. É muito importante que você deixe a criança se expressar colocando os pontos dela, mas uma vez que se estabeleceu uma regra, ela tem que ser seguida até o final. Se a criança faz birra e você flexibiliza a regra que acabou de acordar, todo o trabalho é desfeito e a criança rapidamente entende que ela não precisa cumprir com o combinado.
Nesse momento, temos que tomar cuidado como é negociado para que não vire chantagem. Nada de prometer algo em troca de um comportamento: “Você só vai jogar vídeo game se arrumar o seu quarto antes.” Podemos ao invés de chantagear, negociar: “ Vamos combinar de você arrumar o quarto primeiro antes de ir jogar vídeo game”. Essa atitude pode aproximar pais e filhos para um relacionamento positivo e respeitoso.

Até a próxima!!


Ana Paula Campos
Psicóloga